Cuide bem do seu cãozinho

0
146

 

A chegada de um cãozinho na família é uma grande alegria, principalmente para as crianças. Mas, para desenvolver o senso de responsabilidade e cuidado com o bichinho, é preciso que elas aprendam a fazer pequenas tarefas, como alimentar e limpar a sujeira dele. “Com pequenos afazeres, a criança começa a ter responsabilidade, aprende a dividir com o adulto a obrigação de cuidar do animalzinho”, explica Leriel Gaio, proprietário do Cãozinho Curitiba (www.caozinhocuritiba.com.br), o maior portal de filhotes do Sul do país.

Gaio garante que incentivar o relacionamento de cães e crianças ajuda a combater o estresse e aumenta a felicidade, portanto, as tarefas com o bichinho devem ser prazerosas e naturais. “Os cuidados com o cãozinho não devem ser posicionados como um castigo. Limpar as sujeiras, por exemplo, não deve ser uma punição para um mau comportamento, mas sim, apresentada como uma tarefa. Assim, as crianças se comprometem com o bem-estar do seu cão e ainda aprendem o que é preservar uma vida”, acrescenta.

Segundo o veterinário Luciano De Luca, do Centro Veterinário Pet & Love, um animal em casa não traz apenas responsabilidades; eles também entretêm a família. “É muito difícil não se render ao carinho que eles nos proporcionam. Há pais que em um primeiro momento dizem que não vão cuidar, mas, no final de algumas semanas já tratam o bichinho como um membro da família”, conta.

Dicas para a saúde do pet
O cuidado começa com a escolha do local onde será adquirido o filhote. De acordo com Leriel Gaio, o canil deve ter registro e as devidas licenças técnicas. “Deve dar garantia da saúde do animal e, de preferência, ter ainda um programa pós-venda, com recomendações e assistência ao pet e um suporte para as dúvidas dos novos donos”, recomenda.

Leriel Gaio e o veterinário Luciano De Luca dão outras dicas para cuidar da saúde do cãzinho:

– O local onde o filhote ficará não deve ser úmido ou ter correntes de ar;

– É importante ensinar para as crianças que não podem derrubá-lo, nem devem gritar, pois isso assusta o pet;

– Conferir se o vermífugo foi aplicado no canil e ainda observe o comportamento do bichinho. Ficar muito quieto pode ser sinal de que algo não vai bem;

– Não se deve adquirir um filhote sem vacina ou vacinado a menos de sete dias, pois as possibilidades de doenças são maiores. As vacinas são aplicadas para garantir proteção contra doenças como parvovirose (vírus que pode ser transmitido pelo contato com as fezes do animal), leptospirose (doença infectocontagiosa que causa desordem renal e/ou hepática aguda), cinomose (vírus que pode ser transmitido pelo contato com secreções do nariz e boca do animal) e raiva (infecciosa e pode ser transmitida pelo contato da saliva por mordida, lambida em ferida aberta, mucosa ou arranhão);

– Alimentar corretamente o filhote. Ele deve consumir a ração indicada pelo criador. Não deve ingerir leite ou derivados, carne crua e alimentos condimentados. A ração é o melhor alimento e pode ser complementada com algumas frutas, como maçã ou pêra;

– Cuidar com objetos ingeridos pelos filhotes, pois podem provocar asfixia;

– Procurar o acompanhamento de um médico veterinário de confiança. A maioria dos problemas pode ser solucionada de maneira rápida quando o veterinário sabe o que realmente acontece com o animal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here